Skip to content

Jornalismo Esportivo exercitando a prática

07/11/2017

IMG_20171105_184350428

Alunos da turma (2017/2) de Jornalismo Esportivo em cobertura na Arena  Foto: Christopher Wilbert

por Sandra de Deus

Atendendo a vontade do Grupo, contando com o apoio da Associação dos Cronistas Esportivos do Rio Grande do Sul, pela primeira vez fomos a um estádio de futebol fazer uma cobertura na prática. No domingo 05 de novembro a turma acompanhou o jogo entre Grêmio e Flamengo, na ARENA. A alegria de realizar uma atividade prática resulta no material que publicamos a partir de agora. Agradecimentos a ACEG que foi parceira em permitir a experiência e a Isadora Duarte que insistiu na produção.

Confira abaixo as matérias produzidas

Anúncios

Guto Ferreira não é mais técnico do Inter

12/11/2017

Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital

Odair Hellmann assumirá a equipe contra Oeste, Goiás e Guarani.

Arthur Ruschel

Após o empate de 1×1 contra o Vila Nova, na tarde deste sábado (11), no Beira Rio, o vice-presidente de futebol do Inter, Roberto Melo, anunciou que Guto Ferreira não é mais treinador do clube. O técnico não suportou a sequência de maus resultados e deixou o clube com um aproveitamento de 58,58% (33 jogos, 17 vitórias, 9 empates e 7 derrotas). “Achamos que nos últimos jogos o desempenho caiu demais”, afirmou Melo. Odair Hellmann, auxiliar do clube, assume a equipe até o final da competição, faltando três rodadas.

O anúncio da queda de Guto Ferreira foi feito logo após o término da partida, na coletiva de imprensa. Foi possível ouvir alguns torcedores comemorando a notícia assim que ela foi ouvida no microfone. “Gostaria de comunicar a todos que, a partir de hoje, eu e o presidente, junto com o conselho de gestão, decidimos fazer uma troca no comando técnico da equipe. O Guto e a comissão técnica estão deixando o comando da equipe e, a partir de amanhã, assume o Odair Hellmann”, disse Melo.

O vice-presidente elogiou o trabalho do treinador e responsabilizou toda a equipe: jogadores e diretoria, pelo mau desempenho apresentado nas últimas três partidas disputadas pelo Inter no Beira Rio (Ceará, CRB e Vila Nova). “Vamos ter que, realmente, conversar muito com os jogadores para garantirmos a classificação em São Paulo, na terça-feira”, completou.

Odair, que já está na sua terceira passagem como técnico interino do inter, comandará o time nas partidas contra Oeste, Goiás e Guarani. O colorado precisa apenas de um empate para garantir a classificação matemática e retornar à elite do futebol brasileiro

 

Sob muitas vaias, Internacional empata e a perde chance de confirmar seu retorno a elite

12/11/2017

 Foto: Divulgação Inter

Rene da Silva Almeida

Nas ruas, nos vestiários, nos corredores e nas arquibancadas o clima era de festa. Em poucas horas o Internacional estaria com seu retorno à primeira divisão do Campeonato Brasileiro confirmado. Só faltou um item para tornar a tarde do último sábado (11) perfeita: o futebol, que anda em falta ultimamente pelos lados do Beira-Rio. O empate em 1 a 1 com o Vila Nova-GO pela 35ª do Campeonato Brasileiro colocou água no chopp colorado que além de ter o acesso adiado, viu o América-MG ultrapassá-lo e assumir a liderança da Série B.

Clima era de festa

O torcedor colorado saiu de casa esperançoso. Era o dia mais esperado desde o trágico 11 de dezembro de 2016, data do rebaixamento de seu time. No pátio do Beira-Rio o clima era o melhor possível. Mas assim como o time em campo, a auto estima do torcedor foi se esmorecendo a medida que os minutos foram passando, e o que era para terminar em festa, acabou em protestos e demissão.

Inter mostrou pouco futebol

Com Leandro Damião descontado fisicamente e a zaga formada novamente pelos garotos Léo Ortiz e Thales, o Inter foi escalado com a base do time que chegou a liderança do campeonato. Até começou a partida de forma razoável, jogando no campo do adversário e tomando as rédeas do confronto. Logo aos 12 minutos, Winck aproveitou a escorada de Rodrigo Dourado após falta cobrada por D’alessandro e abriu o placar. O gol deixou o torcedor mais aliviado e ainda mais convicto que o acesso viria. Porém, o time de Guto Ferreira recuou e o Vila Nova-GO começou a gostar do jogo. Aos 21 minutos Uendel salvou nos pés de Maguinho, que estava pronto para o empatar. Aos 27, foi a vez de Léo Ortiz cortar passe perigoso dentro da área. Aos poucos o torcedor foi perdendo a paciência, mas o placar ainda abafava os murmurinhos.

Logo aos 4 minutos do segundo tempo, Ruan pôs fim ao escudo colorado. Aproveitando corte errado da defesa e a saída em vão de Danilo Fernandes, ele acertou um bonito voleio e empatou a partida no Beira-Rio. O clima de tensão estava novamente instalado na torcida colorada. Para tentar conter a impaciência do torcedor que começava a se manifestar, Guto Ferreira chamou Nico Lopez e Carlos para os lugares do improdutivo Eduardo Sasha e o descontado Leandro Damião. O centroavante colorado, símbolo do bom momento do time na competição não era nem sobra do jogador aguerrido e oportunista de outros jogos. Visivelmente estava jogando no sacrifício.

A última cartada

Bastava um gol, o gol do alívio, o gol do acesso. Mas o time jogava pouco. Nico Lopez centralizado pouco tocava na bola. Carlos e Potker erravam tudo que tentavam. Não havia jogo coletivo. Os jogadores estavam distantes e apelando para cruzamentos. Perfeita definição de futebol pobre. Uendel por duas vezes cruzou nas mãos do goleiro. A irritação do torcedor só aumentava e as vaias já não eram contidas. Para piorar a situação, o Vila Nova chegou muito perto da virada. Aos 27, Ruan ficou livre dentro da área e Danilo Fernandes agarrou o chute forte do atacante. O pior ainda estava por vir. Aos 36, Maguinho ficou livre, cara a cara com o arqueiro colorado. Danilo fez mais um de seus milagres e Uendel atrapalhou o lateral no rebote. Safou-se o colorado. No último lance da partida, Heitor cabeceou contra o patrimônio e a bola explodiu no travessão. Escorria ali mais uma chance de confirmar o acesso a elite. Escorria ali a ultima cartada de Guto Ferreira no comando técnico do Internacional.

Vaias, confusão e demissão

Depois do apito final, o Beira-Rio era só vaias para o time que havia perdido a liderança da Série B. Mais tarde, torcedores se concentraram em frente ao portão 1 do estádio – local de acesso da diretoria, jogadores e imprensa – e protestaram contra a sequência de quatro jogos sem vitórias e o técnico Guto Ferreira. Houve confronto com seguranças do clube e a Brigada Militar teve que intervir. O clima tenso no pátio só cessou quando o vice-presidente de futebol, Roberto Melo, anunciou em entrevista coletiva a demissão do treinador.

A um empate do retorno

O Internacional liderava a Série B desde a 24ª rodada e precisava de uma vitória simples para selar seu retorno a elite do futebol nacional. Com o empate, o time perdeu a liderança e ficou a dois pontos do América-MG – 66 a 64. O time mineiro, aliás, garantiu seu retorno a primeira divisão. Na próxima rodada, desfalcado de D’alessandro, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o Inter viaja a Barueri, no interior de São Paulo, para enfrentar o Oeste. Um empate carimba o acesso. O jogo acontece na próxima terça-feira (14), às 20h30min. O time será comandado pelo auxiliar técnico Odair Hellman. Já o Vila Nova-GO, recebe o Figueirense, em Goiânia, no mesmo dia e horário. O time goiano tem poucas chances de conseguir o acesso.

Ficha do jogo – Internacional 1 x  1 Vila Nova-GO – 35ª rodada – Campeonato Brasileiro Série B 2017

Estádio Beira-Rio, Porto Alegre/RS

Arbitragem: Dyogines Padovani de Andrade (ES), auxiliado por Fabiano da Silva Ramires e Vanderson Antonio Zanotti (ambos do ES)

Público e Renda

Público total: 33.088

Público pagante: 28.268

Renda: R$ 735.273,00

Internacional

Danilo Fernades; Claudio Winck, Léo Ortiz, Thales e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenilson, D’alessandro, Eduardo Sasha (Nico López) e Wiliam Potker (Camilo); Leandro Damião (Carlos). Técnico: Guto Ferreira

Vila Nova-GO

Luis Carlos, Maguinho, Alemão, Wesley Matos e Gastón Figueira; Geovane, Fágner (Heitor), Anderson Luís (Léo Rodrigues), Alan Mineiro e Ruan; Lourency (Tiago Adan). Técnico: Hemerson Maria.

Gols

Claudio Winck, aos 12 min/1º t (I), e Ruan, aos 4 min/2º t (V)

Cartões amarelos

Rodrigo Dourado e D’alessandro (I); Geovane e Fágner (V)

Grêmio 3 X 1 Flamengo

07/11/2017

Data: 05/11/2017

Local: Arena do Grêmio

Horário: 17h

Valor dos ingressos: de 30 a 100 reais (camarote avulso saiu por 240 reais)

Público: 19.973

Gols: 1º gol aos  2 minutos do  segundo tempo  (Flamengo) – Éverton Ribeiro

2º gol aos  24 minutos do  segundo tempo  (Grêmio) – Everton

3º gol aos  26 minutos do  segundo tempo (Grêmio) – Everton

4º gol aos  37 minutos do  segundo tempo (Grêmio) – Luan

Escalação Grêmio: Paulo Victor/Edilson/Geromel/Kannemann/Marcelo Oliveira/Michel/Arthur/Ramiro/Luan/Fernandinho/Jael

 Escalação Flamengo: Felipe Vizeu/Éverton Ribeiro/Everton/Lucas Paquetá/Willian Arão/Cuéllar/Pará/Trauco/Rafael Vaz/Rhodolfo/Diego Alves

Do inferno ao paraíso na Arena

07/11/2017

IMG_20171105_183415446

Aproximadamente 20 mil torcedores frequentaram a Arena no último domingo Foto: Isadora Duarte

Isadora Duarte

sduarte.isadora@gmail.com

Grêmio com vaga garantida na final da Libertadores e posicionado no G3 do Brasileirão com ainda seis rodadas a frente. Então era só mais um jogo de tabela para cumprir? Não para a torcida. A alegria e a feição de tranquilidade que os torcedores tricolores estampavam na entrada do estádio esfacelaram-se aos dois minutos do segundo tempo, no gol do Flamengo. Em uma falha da zaga gremista, com uma cabeceada Everton Ribeiro arrancou os sorrisos dos torcedores e o clima de velório instalou-se na Arena.

Ao acomodar-se nos assentos, cabisbaixa, a massa gremista deixou a decepção latente no estádio. O desânimo atingiu até a Geral – torcida organizada do Grêmio. Os cânticos e gritos de apoio eram solitários. Para os torcedores não era só mais um jogo. A vitória em casa, acumulando a invencibilidade histórica contra o Flamengo, em uma boa fase do tricolor gaúcho era o mínimo esperado.

Mal sabia o torcedor que a apreensão só aumentaria. Após o gol sofrido em casa, o Grêmio perdeu o controle da partida. Passes perdidos, bolas foras e o Rubro-Negro ameaçando com finalizações quase certeiras. Foram mais 23 minutos de angústia para os tricolores até a entrada de Everton. O atacante ovacionado pela torcida, que há vários jogos clamava pela sua entrada, honrou o chamado e em apenas dois minutos resolveu a partida com dois gols. O 2×1 era o suficiente para levantar a torcida. O clima de euforia tomou conta da Arena. Todos unidos com abraços, pulos e comemorações coletivas. Os cânticos voltaram a ser entoados. Em pé, à frente de seus assentos, tomada pela emoção da vitória que se aproximava, os torcedores gaúchos lembravam os cariocas de que eram os imortais tricolores e reis da copa.

A euforia chegou ao ápice quando o ídolo Luan deixou sua marca na partida, goleando ao final do segundo tempo. O estádio foi embalado pela massa gremista que seguiu até o final levantando o time. Os jogadores atenderam às máximas da torcida: cada jogo é um jogo, cada campeonato é um campeonato. O 3×1 não só selou a boa fase do Grêmio como atestou a raça tricolor para ir do inferno ao paraíso em 180 segundos.

Grêmio vence o Flamengo por 3 a 1 e tranquiliza para as próximas rodadas do Brasileirão

07/11/2017

20171105_190120

Repórter Júlia Vargas entrevista atacante Everton  Foto: Estela Baggio

Júlia Teixeira Vargas

vargastjulia@gmail.com

No último domingo (05), o Grêmio recebeu em casa o Flamengo pela 32ª rodada do Brasileirão. Diferente dos jogos das rodadas anteriores, Renato Portaluppi entrou em campo com maior parte do time titular para o clássico do final de semana “A gente sabe que tem que entrar ligado por ser um clássico e por ser uma equipe muito qualificada”. A mesma ideia  dominava o meio-campista Arthur ao declarar que “A gente tem ambição no campeonato brasileiro que é o foco principal hoje”.

O primeiro tempo do jogo foi bastante equilibrado. O tricolor teve mais domínio de bola, mas o time rubro-negro conseguiu mais finalizações, o que acarretou no gol de Everton Ribeiro no começo do segundo tempo. Com um Flamengo muito mais atacante e vaias da torcida, Renato Portaluppi resolveu, aos 21 minutos do segundo tempo, tirar Fernandinho e Jael e colocar os reservas Everton e Beto da Silva. E o resultado foi uma virada que acendeu os quase 20 mil torcedores no estádio!

Aos 23 minutos, a zaga rubro-negra se atrapalhou e Everton chegou com velocidade para finalizar. Dois minutos depois, ele foi lançado, Pará falhou e o chute cruzado terminou dentro do gol de Diego Alves. Mas a virada não parou por ai. Aos 37 minutos, Beto da Silva roubou a bola de Rafael Vaz, invadiu a área e cruzou para o meio, onde estava o artilheiro Luan, pronto para fazer o terceiro. No final da partida, Luan falou sobre a vitória  que ajuda a administrar os próximos jogos do Brasileirão sem perder o foco na Libertadores “Faltam muitos jogos ainda para a final da Libertadores (22), a gente vai procurar se focar bem para fazer grandes partidas no campeonato brasileiro”.

O Grêmio enfrentará, na quarta-feira (8), a Ponte Preta, em Campinas; o Flamengo disputa com o Cruzeiro, no Rio de Janeiro. Ambos os jogos pela 33ª rodada do Brasileirão.

Renato Gaúcho mostra que sabe o que faz e Grêmio vira jogo contra o Flamengo

07/11/2017

WhatsApp Image 2017-11-08 at 08.46.19

Renato Gaúcho concede entrevista coletiva após a vitória sobre o Flamengo  Foto: Luiza Dorneles

Luiza Dorneles

dorneleslui@gmail.com

No jogo do último domingo (5), Renato Gaúcho mostrou novamente que conhece o time do Grêmio, sabe como escalar, onde escalar e em que momento mexer na equipe. Com dois gols de Everton, direto do banco de reservas, e um de Luan, o Grêmio venceu o Flamengo por 3×1 de virada.

Após Everton Ribeiro abrir o placar para o Flamengo aos 47 minutos do primeiro tempo, Renato ficou ainda mais atento. Aos 23 minutos do segundo tempo, realiza duas alterações que definiram a partida: Everton e Beto da Silva substituem Fernandinho e Jael, respectivamente.

Aos 24 minutos, Everton toca pela primeira vez na bola e manda para o fundo da rede, empatando em 1×1 com o Flamengo. Três minutos foi tempo suficiente para que Everton fizesse o segundo gol, desempatando o jogo e se consagrando o nome da partida.

A substituição que garantiu a vitória aliou-se à conversa de Renato com os jogadores no intervalo do jogo no vestiário. Em coletiva de imprensa, Renato afirmou que o erro técnico no primeiro tempo foi a distância entre as duas linhas de quatro e os atacantes. “Nosso time jogou muito espaçado, muito longe um do outro, e isso favoreceu o Flamengo que tinha um jogador a mais no meio de campo”. Para o técnico, os erros foram semelhantes aos cometidos contra o Barcelona de Guayaquil na última quarta-feira, pela libertadores.

O desempenho de Everton chamou atenção dos torcedores, mas Renato não garante que o atleta será titular na final da libertadores contra o Lanús no dia 22.  Segundo Renato, “o jogador tem que aproveitar as oportunidades, seja durante os 90 minutos, seja durante os 45 minutos, 10 minutos”. Para ele, a disputa pela vaga de titular existe em todas as posições, e afirma “eu tô ligado, eu tô atento, tô vendo as coisas”.