Skip to content

Além das Arquibancadas

17/05/2016

Fotos e texto por Brenda Luíza Ferreira Vidal

Se futebol no Brasil é quase uma religião para fanáticos torcedores, o estádio com certeza é o seu templo. Eles despertam tanta curiosidade por suas histórias e mitos assim como qualquer catedral ou mesquita ao redor do mundo. Utilizando-se dessa paixão popularizada como nacional, o Brasil, como sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014 e próximo de sediar os Jogos Olímpicos de 2016, têm visto clubes mirarem no turismo e investirem em serviços de visitas guiadas aos estádios do país. Mesmo não sendo uma capital turística, Porto Alegre inclui a rivalidade Grêmio-Inter nesse roteiro, e os estádios Arena e Beira-Rio são referências da cidade.  

Nos últimos anos, os grandes marcos da história de Grêmio e Inter foram seus estádios- o primeiro com a construção da Arena, inaugurada em 2012, e o segundo com a reforma do Beira-Rio, em 2014. As visitações guiadas são realizadas no mundo todo, tendo os grandes clubes europeus – Bayern de Munique, Chelsea, Barcelona- como referências. Tanto entre azuis quanto entre vermelhos, o trabalho tem como base a paixão do torcedor, visando abrir as portas da casa do clube para oportunizar uma recordação especial ao visitante.

Arena do Grêmio Tour

Arena do Grêmio Tour é o serviço de visitas guiadas, que acontece desde 2013. O tour tem duração aproximada de 70 minutos, e tem como objetivo “a experiência única” de conhecer alguns dos principais setores do estádio, com destaques para: cabines de imprensa, camarotes, cadeiras gold, auditório (sala de coletivas), zona mista, vestiário, túnel de acesso e banco de reservas. O número máximo é de 60 pessoas por visita, que são acompanhadas por um guia bilíngue. Em função de treinos ou jogos, os horários do tour podem ser modificados ou até mesmo cancelados. A autonomia desse serviço ainda não é total do Grêmio, sendo vinculado à empresa “Futebol Tour”, com matriz em São Paulo, que oferece esse e outros serviços aos clubes de todo o Brasil.

13234576_958803477571758_828467705_o

Foi acessado o elevador do estacionamento da Arena que cheguei ao portão “A Mídia” e me dirigi à recepção do Arena Tour. Lá encontrei Jean Santini, (coordenador de visitas guiadas e operação do museu), com quem combinei a visita guiada e conversei posteriormente. Às 16h, mais um tour estava prestes a começar e me uni ao grupo. Segundo Jean, o perfil dos visitantes é variado “Isso é muito relativo, é uma questão de demanda. Tem períodos como uma demanda maior, uma grande parte são escolas do interior. Elas se programam pra conhecer a capital e dentro do roteiro com certeza os dois estádios estão presentes. Mas também tem a questão de torcedores, famílias e até mesmo turistas do Brasil e de todo o mundo”. No mês de março, a Arena chegou a marca de 100 mil visitantes pelo tour, número expressivo que orgulha e motiva Jean “a gente trabalhando pra melhorar ainda mais o tour, trazer mais visitantes ainda”.

13223685_958803454238427_2027307310_oO guia Miguel e mais um monitor são responsáveis pelo grupo em que participo.  Com microfone devidamente acoplado, ele nos reúne em uma das cabines de imprensa começa o seu speech, explicando a duração e roteiro da visita, dando instruções e situando o visitante sobre a história e dados do clube e do estádio. O monitor me explica que o speech é o roteiro base de todas as informações que devem ser passadas em todas as visitas que são feitas, mas que cada guia é estimulado a incorporar e criar sua fala, dando sua cara ao discurso. Além de desenvoltura e empatia, o guia precisa demonstrar paixão- por isso, evita-se contratar candidatos que sejam colorados.   Jean me conta que o treinamento dos guias segue a cartilha recomendações da empresa Futebol Tour, mas que cada clube tem autonomia pra criar em cima dessa normas. O coordenador das visitas é treinado por um representante da empresa, e se torna o elo entre ela e o trabalho desenvolvido no clube. Santini acrescenta que no futuro, o Grêmio pode absorver a equipe da Arena Tour e se tornar responsável pelo serviço.

O roteiro da visita é bem planejado, deixando os ambientes que mais despertam curiosidade para o fim. Com um grupo de menos de 10 pessoas, percebe-se que o método do guia dá certo, e que os torcedores ficam atentos a cada fala. Em todo o ambiente, após seu recado, o guia deixa os visitantes livres para explorar o local – momento oportuno para sacar os paus de selfie e registrar em vídeo e fotos cada espaço. O registro amador é o mais garantido, já que a entrada com câmeras profissionais não é permitida. Quem estiver disposto a desembolsar um pouco mais, pode adquirir duas fotos ao longo da visita: uma no auditório de coletivas de imprensa da Arena, com capacidade para 300 pessoas, na bancada dos entrevistados, e a outra ao final do tour, com a taça da Libertadores.

Na visita a Arena, a paixão pelo tricolor é ferramenta constante. Na própria foto oferecida na sala de imprensa, o torcedor pode vestir um dos três modelos de camisa à disposição na bancada e, após, é apresentado pelo guia como “o mais novo reforço gremista”. Já mais adiante, visitando o vestiário e a sala de aquecimento, um vídeo com duração de 4 minutos é projetado, marcando os 20 anos da última Libertadores conquistada pelo time. Quando estamos no túnel que dá acesso ao campo, o monitor aciona um som de torcida vibrando, enquanto o guia Miguel estimula “é aqui que os jogadores se concentram, sentindo a vibração da torcida”. O passado de glórias e a paixão imortal são os ingredientes motivacionais recorrentes na visita.  

Com o slogan “viva um dia imortal”, a visita encerra no campo da Arena, restrito a parte dos bancos de reserva e área do treinador. Um dos maiores desafio para Jean, é abordar a  história quando se trata do estádio “A Arena tem 3 anos, vai fazer 4 em dezembro. Então o estádio é um ‘bebê’ e não se tem história aqui dentro. Mas ela é restabelecida, principalmente no início do passeio, trazendo as histórias das 3 casas do Grêmio- Baixada, Olímpico e agora Arena. Mas esse desafio não compete só a nós.”

Após essa última parada, somos conduzidos a saída, em frente ao café do grêmio. No futuro, a ideia é seguir um roteiro estratégico que a linha de chegada seja o museu e a loja do Grêmio. Museu do grêmio e Tour são atividades separadas, mas com funcionamento espelhado.

Visita Colorada

A Visita Colorada é um serviço que passou por mudanças com a reforma do estádio Beira-Rio e com os jogos da Copa em Porto Alegre. Anteriormente, existiam equipes separadas para as atividades do tour e as atividades do museu do Internacional.  Com o início das obras, o roteiro das visitas foi sendo limitado e acabou sendo extinto em virtude do avanço da construção. Karolina Cristane (parte da equipe do Museu do Sport Club Internacional- Ruy Tedesto e Visita Colorada), com quem conversei, contou que passou por uma fase sem atividades inclusive no museu, apenas executando trabalhos administrativos. Logo em seguida à conclusão das obras, iniciou-se a agenda da Copa do Mundo e o tour seguiu estagnado. Foi em agosto de 2014 que o serviço voltou a ser oferecido, remodelado, com novo roteiro e equipe integrada ao Museu Ruy Tedesco. Karolina sublinhou que a grande procura pelo serviço foi responsável pelo retorno das atividades “a demanda era grande, as escolas ligavam e as pessoas buscavam esse serviço”.  

13224048_958803470905092_183142287_o

A volta do serviço foi gradual, no início levando apenas 25 pessoas. Agora, a capacidade foi praticamente dobrada e são oferecidos dois tipos de visita: visita colorada de 50 minutos, com capacidade para 50 pessoas por grupo, e visita colorada estendida, que dura 1 hora e 30 minutos com capacidade de 40 pessoas. Na versão estendida, além do museu, tribuna de honra, saguão vip, cadeiras vip, zona mista e camarotes são somados ao roteiro base.

No Inter, optei pela visita estendida, que tem como ponto de partida o museu do clube. Durante o percurso, somos acompanhadas por um guia e um auxiliar, que se comunica com a segurança e outros setores para a liberação de acessos. O guia na Visita Colorada também tem microfone à disposição, mas seu uso varia de acordo com o tamanho do grupo. A equipe possui guias bilíngues e também um intérprete de libras. A visita só precisa ser agendada por grupos grandes, como escolas, ou se algum dos visitantes for cadeirante, surdo ou tiver mobilidade reduzida.

Do museu, somos levados para as salas vips e camarotes. De acordo com Karolina, a Visita Colorada tem um caráter mais turístico, aliado ao crescente ramo do turismo esportivo, mas também tem um carga histórica “existe uma preocupação histórica, até de fazer uma contextualização , porque o Beira-Rio não surgiu do nada. A história da construção do estádio é marcante, faz parte de Porto Alegre, porque tudo isso era um aterro, e a construção do estádio foi feita junta com os torcedores, com a campanha do tijolo (em que os torcedores e atletas arrecadaram materiais de construção para as obras do Beira-Rio).”  A intenção muda dependendo do público: aos visitantes não colorados, a proposta é acolher e mostrar o melhor do Beira-Rio; aos torcedores, que saiam ainda mais orgulhosos e apaixonados pelo seu clube e seu estádio, “Aqui a gente trabalha com paixão”, afirma Karolina.

O serviço pertence ao próprio clube, e os guias são orientados a passarem informações com paixão, que contextualizem a memórias do estádio e do clube e também que matem a curiosidade dos visitantes. O guia dessa visita conduzia um grupo animado, que fazia seus registros e selfies em suas câmeras e smartphones a todo o instante. Depois das luxuosas salas vips, somos conduzido à sala de imprensa, com capacidade para 60 pessoas, na qual os visitantes tinham livre acesso a bancada dos entrevistados, podendo tirar fotos à vontade.  

13223612_958803414238431_493069032_oDurante o percurso, outros produtos não são oferecidos. Muito do apelo passional fica por conta das lembranças que tomam os torcedores ao passar pelas arquibancadas do Beira-Rio. O vestiário e sala de aquecimentos visitados são sempre os ocupados pelos times visitantes, mas o sucesso desse trecho do trajeto fica por conta de uma camisa do goleiro Állison, pendurada em um dos cabides, que causou uma série de selfies de um grupo visitantes adolescentes.

O perfil do visitante, segundo Karolina, é de quem mora fora da capital. “A procura é maior pelo pessoal do interior do estado. O sócio de Porto Alegre vem a hora que ele quer, tipo ‘tenho um parente do Rio de Janeiro me visitando, quero que ele conheça o Beira-Rio’, aí ele vem”. As escolas também são presença de peso nesse público, sendo a principal demanda nos meses de junho e julho e ao final do ano.  

O tour tem seu ponto alto na chegada ao gramado do estádio, palco de conquistas memoráveis do Internacional. Após mais um momento liberado para fotos, a visita se encerra no espaço “Memorial Fernandão Eterno”, onde somos liberados.  A satisfação em conhecer o novo Beira-Rio, as lembranças antigas e recentes e uma das maiores paixões dos torcedores, o ídolo Fernandão encerram o trajeto.

A potência do futebol é tamanha que sua definição é cada vez mais ampla: é esporte, é paixão, e negócio. Tratar de um cliente que é ao mesmo tempo consumidor e torcedor  requer cuidados. Jean prefere investir na vantagem desse panorama “aos p’s do marketing, quando se trata da visita, a gente acrescenta mais um: que é a paixão” e salienta que esse serviço é mais um forma de ajudar o clube. Karol arremata ao afirmar que “É necessário ter delicadeza em saber escutar. No meio da visita, vai vir um torcedor que vai querer te contar que esteve aqui em 75 e viu o ‘gol iluminado’ do Figueroa. E nós temos que ouvir, porque isso é importante pra ele.” Ir além das arquibancadas é o desejo de muitos torcedores, mas este trajeto só é construído com estratégia e paixão como base do roteiro.

 

Visita Grêmio  

     Horário:

     de quarta a sexta, às 10h, 11h30, 13h, 14h30 e 16h.

     aos sábados e domingos, às 10h, 11h, 13h, 14h, 15h, 16h e 17h.

      Valores da entrada*:

       Tour: R$ 32 inteira | R$ 16 meia-entrada | R$ 15 sócios | Combo (4 pessoas): R$ 90

       Tour + Museu: R$ 40 inteira | R$ 20 meia-entrada | R$ 18 sócios | Combo (4 pessoas): R$ 140

*Crianças de 5 anos são isentas. Meia-entrada válida para estudantes, idosos, portadores de deficiência, crianças e jovens de 6 a 15 anos (com carteira de estudante).

13230924_958803450905094_1070071408_o

 

        Visita Internacional

         Horário:

         de terça a domingo.

            Visita Colorada: às 10h, 13h, 15h e 17h.

             Visita Colorada Estendida: às 11h, 14h e 16h.

         Valores da entrada*:

            Visita Colorada: R$ 20 inteira | R$ 10 meia-entrada |

             Visita Colorada + Museu (ingresso promocional): R$ 25

              Visita Colorada Estendida + Museu: R$ 40 inteira

        *Sócios e crianças de 5 anos são isentos. Meia- entrada válida para crianças de 6 a 12 anos, estudantes, professores e idosos acima de 60 anos

13241555_958803410905098_378324962_o

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: