Skip to content

Teve Copa, sim

15/07/2014
Torcida na partida entre Argentina e Nigéria, no Beira-Rio (Foto: Alexandre Lops/SC Internacional)

Torcida na partida entre Argentina e Nigéria, no Beira-Rio (Foto: Alexandre Lops/SC Internacional)

Balanço positivo do evento superou as perspectivas sobre a capacidade da cidade em receber a Copa do Mundo. Tensões entre os favoráveis e os contrários ao Mundial também seguiram em pauta durante a realização da Copa.

 

por Hudson Nogueira

Ao contrário dos que bradavam aos borbotões contra a realização da Copa do Mundo em Porto Alegre, o evento ocorreu de forma pulsante e colheu saldos positivos para a cidade e o estado. É claro que o êxito das duas semanas em que a metrópole sediou jogos e vivenciou o Mundial, não apaga as mazelas e os problemas (muitos deles agravantes) que a capital gaúcha continua enfrentando.

Alguns números para ilustrar o balanço durante o período de jogos na cidade:

  • Cinco partidas foram disputas no estádio Beira Rio – 4 na primeira fase e 1 pelas oitavas de final.
  • 214.967 pessoas foi o público total nesses jogos – com uma média de 42.993, totalizando quase toda a carga de ingressos estipulada pela FIFA (43 mil).
  • 22 gols foram marcados – uma média de 4,44 tentos por jogo.
  • 360 mil turistas – sendo 160 mil de fora do país estiveram em Porto Alegre.
  • 30 bilhões de reais – estimativa feita pelo Governo Federal sobre o impacto econômico no país durante o Mundial.
  • 1 bilhão de reais – é o valor estimado feito com base em dados colhidos pela Secretaria do Turismo, tendo em vista que cada turista gastou cerca de 3 mil reais durante a Copa.

Esse número (1 bilhão), no entanto, é bastante controverso, visto que a maioria dos visitantes não gastou a média estimada somente aqui em Porto Alegre, Região Metropolitana e Serra Gaúcha. De fato, o incremento de movimento no comércio, bares, gastronomia e rede hoteleira foi satisfatório. Contudo, essa projeção cândida, mais parece uma resposta para acalmar os ânimos dos críticos  do evento.

Mas não só números e finanças compuseram o cenário da Copa do Mundo em Porto Alegre. Outros fatores e demandas também ajudaram a configurar essa participação histórica de Porto Alegre no Mundial de Futebol.

Torcida holandesa no Caminho do Gol. (Foto: Divulgação EPTC)

Torcida holandesa no Caminho do Gol. (Foto: Divulgação EPTC)

A tensão entre a euforia em receber o evento e as demandas sociais veementes da cidade, não ficou à espreita das opiniões da população. O fato é que surgiu uma conjuntura política em torno da realização da Copa no país e todo o contexto que lhe foi atribuído. Orçamentos estourados, obras atrasadas, problemas nas infraestruturas, superfaturamento, segurança pública, entre outras questões aliadas aos desmandos quase despóticos da FIFA (algo corriqueiro nas Copas do Mundo) dividiram opiniões acerca do evento.

A alegria em receber visitantes de diversas partes do mundo em sintonia com a hospitalidade gaúcha contrastou com as remoções de famílias em detrimento das obras de mobilidade urbana – que até agora não caminharam muito de forma efetiva – e a já tradicional repressão da Polícia contra os movimentos sociais nas manifestações populares.

Analisando os resultados (ainda que prévios) do Mundial de Futebol para o setor de Turismo, não há dúvidas de que o balanço foi positivo. Inclusive, acima da expectativa. Visto que o valor arrecadado com a presença de turistas locais e estrangeiros incrementou cifras consideráveis à economia gaúcha nos meses de julho e julho.

Manifestantes do Bloco de Lutas e Movimentos Sociais no Largo Glênio Peres (Foto: Ricardo Giusti/ZH)

Manifestantes do Bloco de Lutas e Movimentos Sociais no Largo Glênio Peres (Foto: Ricardo Giusti/ZH)

Além disso, ficou como o famigerado “legado da Copa”, as qualificações realizadas para os profissionais das áreas atendidas pelos investimentos públicos, a boa imagem que Porto Alegre e região proporcionaram aos visitantes.

O tensionamento entre as reivindicações dos movimentos sociais e setores públicos que investiram (alto) para a realização do Mundial foi inevitável para a análise dos resultados proporcionados pela Copa do Mundo. Fica a reflexão sobre a necessidade de tirar proveito do êxito conquistado com o evento e atender as demandas sociais.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: