Skip to content

La língua of the Copa

15/07/2013

Como Porto Alegre se prepara para comportar a avalanche de línguas estrangeiras

no período do campeonato mundial

Por Luis Felipe Abreu

Imagina na Copa. Imagine in the Cup. Imagine la Copa. Imaginez la Coupe. Immaginate la Coppa. Vorstellen dass die Weltmeisterschaft. Stel je de Cup. Forestil VM. Fantasteíte to Pankósmio Kýpello. Predstavte si že na majstrovstvách sveta. Predstavljajte si svetovni pokal. Zamislite sveta u fudbalu. Stel jou voor die Wêreldbeker-sokkertoernooi. Wārudokappu o sōzō shite mite. Woldeukeob eul sangsang. Posto aí está o clarividente e pessimista bordão favorito do Brasil, escrito nos dezessete idiomas oficiais dos trinta e dois países participantes da última Copa do Mundo, em 2010, na África do Sul. O evento da FIFA, além de o maior campeonato de futebol do planeta, é a Torre de Babel em pessoa. A cada quatro anos um país se vê inundado pelos mais diferentes turistas, das mais diferentes origens, e tem de aprender a lidar com essa enchente linguística. Em 2014 é a vez do Brasil – e como as cidades estão se preparando?

Porto Alegre receberá cinco jogos da Copa Mundo, envolvendo dez seleções diferentes. Mas isso não quer dizer que, necessariamente, dez países passarão por aqui. Uma seleção não precisa se hospedar na cidade em que jogará – embora isso, claro, facilite toda a logística de transporte. Mas é provável que os mais esfriados europeus venham para estas paragens sulistas buscar abrigo da tropicalidade do país. Hoje a Secretaria de Turismo da cidade evita fazer estimativas, mas dados levantados e divulgados em 2011 apontavam para a vinda de mais de 500 mil turistas no período da Copa – que irá de 12 de junho a 13 de julho. O afluxo de estrangeiros será imenso, é o que dá para saber.

O que a cidade está fazendo para pode lidar com este afluxo?  A Escola Social de Turismo, órgão da Secretaria Municipal de Turismo, vem trabalhando com a capacitação dos prestadores de serviço. Através dela foram criados diversos cursos e programas, que já atenderam mais de 4 mil pessoas. Entre eles estão os Encontros Técnico Dicas Turísticas e o Curso Porto Alegre Turística. O primeiro é realizado em parceria com o Sindicato da Hotelaria e Gastronomia de Porto Alegre (SindPoa) e é voltado para garçons, recepcionista, camareiras e auxiliares de limpeza. Além de ensinar a pessoa a como atender melhor os turistas, ele oferece um city tour comentado, na Linha Turismo. O passeio pelo conhecido “ônibus aberto” também faz parte do Porto Alegre Turística – mas este é voltado para um público mais amplo e ocorre quinzenalmente. Seu foco está mais em “educar” o morador da cidade a conhecer melhor seu potencial turístico. “Sempre foi comum ouvir dizer que Porto Alegre não tem nada. Hoje nós não podemos mais aceitar esse tipo de resposta”, afirma Cinthia Verbist, coordenadora da Escola Social. Perguntada se a ausência da Copa das Confedereções em Porto Alegre (a cidade perdeu a chance de sediar um jogo do campeonato devido aos atrasos na reforma do estádio Beira-Rio) seria prejudicial, já que a cidade não poderia “testar” sua capacidade de acolhida, Cinthia concorda – mas faz uma ressalva. “É, foi ruim, mas conseguimos reverter. Aquele amistoso da França (o Brasil jogou contra a França na Arena do Grêmio, no dia 9 de junho) foi o nosso teste”, explica Cinthia. “Pessoas qualificadas no francês foram dispostas em pontos estratégicos da cidade, junto aos pontos de táxi por exemplo. E próximo a Arena montamos toda uma estrutura de atendimento ao turista. Foi bem positivo”.

A Secretaria também lançou, em 2012, o Guia Básico de Linguagem. Ele consiste em uma série de pequenos folders, voltados a orientar a conversação com turistas. Dividido em cinco modelos (compras, hotelaria, aeroporto, restaurante e transportes) disponíveis em duas línguas (inglês e espanhol) ele fornece dicas rápidas, e é distribuído para trabalhadores da área dos serviços e estará disponível em hotéis, na Rodoviária e no Aeroporto no período dos jogos. Para exemplificar: o modelo voltado aos transportes em espanhol traz na capa o desenho de um senhor bigodudo fazendo sinal em um ponto de táxis. Um homem ao lado do carro lhe pergunta:  Bienvenido, ¿puedo ayudarle? Já o interior traz uma sessão “Diálogos” que consiste em uma conversa prática (“Para onde você vai?”, “Não deve demorar muito”, “O trânsito está muito ruim”, etc.) entre motorista e passageiro, em português com a transcrição para o espanhol logo abaixo. Já o item “Vocabulário” traduz para o idioma de Cervantes um punhado de termos rodoviários.

Além dos dois cursos acima citados é realizado o workshop para taxistas – que tenta mostrar aos profissionais locais da cidade que podem ser oferecidos aos turistas como pontos atrativos, propor ideias de viagens temáticas dentro da cidade e ainda, junto ao Serviço Social do Transporte e Nacional de Aprendizado do Transporte (Sest/Senat) e ao Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), oferecer cursos de línguas gratuitos para os motoristas.

Estes cursos de línguas (com o aluno podendo optar entre inglês ou espanhol) começaram em abril deste ano, primeiramente para os profissionais loteados na Estação Rodoviária e no Aeroporto Salgado Filho. A técnica de Formação Profissional do Sest/Senat, Elizete Fontes, relata que 120 taxistas (60 de cada ponto) formaram as primeiras oito turmas com 15 alunos cada. Os taxistas de outros pontos que se interessassem deveriam colocar seus nomes em listas de espera – os informes são de que há mais de 30 nesta lista, em aguardo.

Iniciativas semelhantes ocorrem por parte do SindPoa e da Empresa Pública de Transporte e Circulações (EPTC). O SindPoa oferece cursos gratuitos de capacitação (além do “Inglês aplicado a serviços turísticos”, há os cursos de sushiman, camareira, garçom e recepcionista de hotel”) e a EPTC matriculou todos seus agentes de trânsito em turmas especiais da escola de idiomas  People, escolhida através de licitação.

A própria Escola Social realizou um curso desta natureza em 2012. Ocorreu na sede da Secretaria um curso de inglês voltado para policiais da Brigada Militar. Foram formadas quatro turmas lotadas – cerca de vinte alunos em cada. “Houve muita procura, vários começaram. Mas é aquilo né. No final tivemos 49 formados”, lembra Cinthia.

Embora tais cursos sejam incentivados até pela Associação de Professores de Inglês do Rio Grande do Sul (APIRS), há quem os veja com ressalvas. Uma das maiores escolas de línguas da capital, com quase 3 mil alunos matriculados, a ACELE (Associação Comunitária de Línguas Estrangeiras) não possui um módulo especial, pensado para a Copa. A coordenadora da escola Carla Quadros explica: “O inglês destes cursos é um inglês funcional. Não é o inglês no qual acreditamos”. Ela aponta a brevidade deste modo ensino como seu principal problema. “Eles dão a ideia de que é rápido aprender a língua. Aqui na ACELE o curso de inglês, completo, dura 13 semestres. É impossível aprender a falar outra língua em um ano”. Embora desacredite este método, Carla aponta que, embora falho, ele pode se cumprir algumas das expectativas que propõe. “Se ensina algumas frases prontas, estruturas. Se o que a pessoa quer é poder se comunicar brevemente com alguém, é ótimo. Funciona para a Copa sim. Mas tem muita gente que se frusta achando que vai aprender a falar de verdade”.

Por enquanto, é difícil ter um saldo destes cursos e iniciativas. A formatura das turmas, tanto da EPTC, SindPoa e Sest/Senat está prevista para o final do ano. No momento, as reformas estruturais que ocorrem em Porto Alegre tratam apenas da malha viária – apenas algumas partes do Centro Histórico possuem placas traduzindo o nome dos locais, e a prefeitura não tem prazo para instalação de mais sinais em outros pontos da cidade. Até agora, só é possível mesmo imaginar como será na Copa. Don’t you think?

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: