Skip to content

Apesar da proximidade da Copa, obras continuam em ritmo lento

08/01/2013
Image

Porto Alegre já exibe sinais das transformações / Foto: Luciano Lanes (PMPA)

Por Iarema Soares

 

Faltando aproximadamente18 meses para a bola rolar, Porto Alegre, uma das cidades-sede da Copa de 2014, já exibe sinais das transformações que estão por vir e mostra, ao longo da cidade, homens trabalhando para cumprir um cronograma cada vez mais apertado e difícil de ser cumprido.

O motivo para demora do início das obras são vários; atraso na confecção dos projetos de engenharia, burocracia estatal e ações judiciais de empresasque perderam licitações. Das 15 obras relacionadas à infraestrutura da cidade, dez estão ligadas a mobilidade urbana as demais são relacionadas ao estádio Beira- Rio, Cais Mauá, ao setor energético, aeroporto Salgado Filho e ao Aeromóvel.

 

Mobilidade Urbana

Levantamento divulgado, em novembro, pelo Tribunal de Contas da União (TCU) revela que as obras de mobilidade urbana da cidade já estão 64,2% mais caras que o previsto. No início de 2011, foi estimado um gasto de R$ 527,1 milhões, já em julho deste ano o montante subiu para R$ 865,5 milhões. Entre as dez obras de mobilidade urbana, apenas duas não tiveram aumento no investimento global, segundo o TCU.

São elas o monitoramento dos três corredores, orçados em R$ 13,7 milhões, e a implantação do sistema de ônibus rápido da avenida João Pessoa, com valor estimado em R$ 64,5 milhões.

 

Duplicação da Avenida Tronco

Uma das vias de acesso e ligação entre a Zona Sul e o Centro da cidade, a Avenida Tronco, que sofre com os congestionamento nos horários de “pico”. A duplicação da Avenida vai aumentar em 5,3 km o trecho, com direito a ciclovia, corredor de ônibus e tratamento paisagístico.

Entretanto por conta da delicada situação de reassentamento das 1,45 famílias que moram no local, as obras começaram apenas em julho deste ano e o governo estadual já anunciou que elas ficarão prontas somente em abril de 2014. Atualmente, estão em obras os trechos 3 e 4 (da rótula da Icaraí até 100 metros da Gastão Mazzeron). Os segmentos 1 e 2 (da rótula da Gastão Mazzeron até a Terceira Perimetral e até a rótula do Papa). O custo estimado da obra é de R$ 133,6 milhões, segundo o TCU.

 

Obras da Terceira Perimetral

Ao todo são cinco obras envolvendo a Terceira Perimetral: a passagem subterrânea da Anita Garibaldi, que teve assinada a ordem de início das obras; a passagem das Avenidas Ceará e Cristóvão Colombo, que está em fase de contratação; e o viaduto Bento Gonçalves que está em obras, mas o término da construção, que começou em julho deste ano, ocorrerá somente em julho de 2014, ou seja, após a Copa. O viaduto Plínio Brasil Milano está em fase de orçamento e a passagem subterrânea da Cristóvão Colombo sob a Dom Pedro II tem empresa contratada para obra. O TCU, estima que o valor total da obra seja de R$ 194,1 milhões.

 

Duplicação da Avenida Beira- Rio

Todos os trechos da Beira-Rio estão em obras. O segmento entre a Ipiranga e a Rótula das Cuias está com a sinalização concluída. O viaduto Pinheiro Borda também. O corredor de ônibus BRT da Avenida Padre Cacique contratou a empresa que fará a substituição do pavimento.

A ponte sobre o arroio Dilúvio está em processo de fundação e alargamento de ruas, assim como o trecho entre a pista de skate do parque Marinha e a Pinheiro Borba, da Avenida Beira-Rio. Já o BRT corredor da Avenida Beira-Rio está na fase de substituição do pavimento. A prefeitura prevê para abril de 2014 o término das obras.O TCU acredita em um investimento de R$ 119,2 milhões.

A via que liga o Centro à Zona Sul ganhará cinco novas faixas no trecho de 5,8 km (Usina do Gasômetro até Viaduto José Pinheiro Borba). Trechos 1 e 2 (rótula da Gastão Mazzeron até a Avenida Terceira Perimetral e até a rótula do Papa) aguardam início das obras.

Trechos 3 e 4 (rótula da Icaraí até a rua Gabriel Camargo, a 100 metros da Gastão Mazzaron) estão com serviços em andamento, principalmente a rede pluvial e escavação da pista. A prefeitura prevê o término das obras para abril de 2014 e é de R$ 133,6 milhões o custo estimado pelo TCU.

 

Monitoramento dos três Corredores

Um novo sistema vai monitorar, em tempo real, a trafegabilidade das avenidas Protásio Alves, Bento Gonçalves e João Pessoa, que terão corredores exclusivos para ônibus no modelo BRT. Já houve a implantação do Centro de Controle Operacional junto à EPTC e o sistema já está em uso. O valor estimado pelo TCU na modernização do sistema é de R$ 13,7 milhões.

 

Corredor da Avenida João Pessoa

A construção do corredor de ônibus adaptado ao padrão BRT, fará a ligação entre o corredor da Avenida Bento Gonçalves ao centro de Porto Alegre. Serão 3,2 km de corredor pavimentado com placa de concreto, com 29 estações. As obras no local começaram em setembro deste ano e têm previsão de término para maio de 2014. O TCU prevê um investimento no valor de R$ 64,5 milhões.

 

Corredor da Avenida Protásio Alves

Atualmente, a obra está nos estágios iniciais, com a substituição do pavimento asfáltico por um de placa de concreto. O corredor terá 7 km, ligará a Saturnino de Brito até o túnel da Conceição e incluirá 40 estações. Segundo o TCU, R$ 77,9 milhões serão investidos na obra que tem previsão de término para novembro de 2013.

 

BRT Bento Gonçalves e Terminal Antônio de Carvalho

No momento, o local está em obras e o asfalto é substituído por placas de concreto. No projeto ainda há previsão de readequação do terminal de ônibus Antônio de Carvalho ao padrão BRT. A prefeitura prevê o fim das obras para novembro e 2013. O TCU estima um investimento de R$ 52,7 milhões.

 

Corredor Voluntários da Pátria

O projeto para a avenida Voluntários da Pátria prevê a implantação de ciclovia e tratamento paisagístico, além de expansão da duplicação da via para 3,5 km. Hoje, o trecho 1, que compreende a rua da Conceição até a Ramiro Barcelos, está em obras. Já o trecho 2 (correspondente a avenida Voluntários da Pátria entre a rua Ramiro Barcelos até a avenida Sertório) ainda está no papel. O projeto segue em análise na prefeitura de Porto Alegre, segundo o portal da transparência. O portal prevê para junho de 2013 o fim das obras. Está estimado, pelo TCU, um investimento de R$ 95,3 milhões.

 

Prolongamento da Avenida Severo Dullius

É previsto o prolongamento da avenida em 2,4 km, o que criará um anel viário no entorno do Aeroporto Salgado Filho, gerando novas alternativas de acesso.

Na Severo Dullius, a empresa vencedora da licitação terá de fazer o reaterro para pavimentação da via. O serviço de retirada da camada de lixo do terreno foi contratado e os trabalhos começarão a ser feitos assim que a empresa vencedora obter a licença ambiental da Secretaria de Meio Ambiente.

A rua Dona Alzira está em obras, mas com o cronograma atrasado, visto que o trabalho deveria ter sido entregue em março deste ano. Nos prognósticos, a prefeitura prevê para maio de 2014 o fim das obras. O TCU acredita em um investimento de R$ 83 milhões.

 

Complexo da Rodoviária

Será eliminado o “X” da Rodoviária, para melhorar o tráfego na região central e como solução para o conflito de fluxo entre veículos particulares e de transporte público. O viaduto que ligará as avenidas Júlio de Castilhos e Castelo Branco está em obras. As fundações do novo viaduto já começaram. Previsão dezembro de 2013.

Já a estação especial BRT da Rodoviária, que terá acesso subterrâneo, está com o projeto concluído e aguarda a aprovação da Caixa para licitar. O investimento será de R$ 31,5 milhões, conforme o TCU, e com previsão de término para novembro 2013.

 

Aeromóvel do aeroporto

Após quase três décadas, aquilo que parecia inimaginável saiu do papel e se concretizou. O aeromóvel da capital gaúcha começou a ser construído ainda em meados de 2011. O novo transporte irá ligar a Estação Aeroporto da Trensurb ao terminal 1 do Aeroporto Internacional Salgado Filho. O percurso, que vai durar em média 90 segundos, facilitará o acesso dos turistas ao Centro Histórico de Porto Alegre. Desde a última atualização oficial feita pela prefeitura, em setembro de 2012, 86% das obras tinham sido concluídas. O município prevê investimento de R$ 34 milhões na obra que será concluída ainda no primeiro semestre de 2013.

 

Ampliação do terminal 1 do Salgado Filho

O superintendente da Infraero na Região Sul, Carlos Alberto de Souza, afirmou (10/12) que a ampliação da pista do aeroporto Salgado Filho não ficará pronta a tempo para a Copa de 2014. Entretanto Souza ressaltou que o fato de aviões de grande porte só conseguirem pousar na capital gaúcha a partir de 2015 não irá atrapalhar a operação durante a Copa do Mundo. “O Rio Grande do Sul não precisa se preocupar com voos de longo alcance, porque a obra visa às cargas e não haverá problema algum”, afirmou.

A extensão de 920 metros da pista dos atuais 2,28 mil metros para 3,2 mil metros possibilitará voos diretos com destino aos Estados Unidos e a países da África e do Leste Europeu, por exemplo.

Já no primeiro semestre de 2013, deve entrar em operação um equipamento anti-neblina (ILS) para combater uma das principais causas de fechamento do aeroporto. “O ILS deverá estar em operação já no próximo inverno e, com ele, poderemos atender até 97% de operacionalização”, afirmou Souza. A obra de ampliação do aeroporto está estimada em R$ 345 milhões.

 

Estádio Beira-Rio

Todos assistiram à novela que foi a assinatura do contrato entre a construtora Andrade Gutierrez e o Internacional. O empasse durou mais de oito meses, mas, em março deste ano, teve fim. O estádio está sendo remodelado conforme os padrões da FIFA e, segundo a construtora será reinaugurado em dezembro de 2013. O novo espaço terá uma cobertura metálica, que protegerá 100% dos lugares do estádio, as rampas e os acessos aos portões. A arquibancada inferior será ampliada e ficará mais próxima do campo, e todo o anel inferior passará a contar com camarotes e suítes. O estádio passará a ter capacidade para 51 mil.

A capacidade do estacionamento também será ampliada para 8 mil vagas. Os investimentos no estádio chegarão a R$ 330 milhões. O atraso nas obras da Copa já estava previsto, a profecia apenas se concretizou. Muitos alegam que é um erro um evento desse porte ser realizado no Brasil, que é um absurdo o País investir somente agora em melhorias que há anos clamavam por atenção.

Antônio Alcoba, professor da Faculdade de Ciências da Informação da Universidade Complutense de Madrid e jornalista esportivo, faz coro a essa afirmação e diz que eventos grandes, como a Copa do Mundo de Futebol, deveriam ser feitos simultaneamente em diversos países. Assim nenhuma nação correria o risco de ir à bancarrota por ter de arcar sozinha com os custos do espetáculo tão dispendioso.

Os governantes esperam esse evento de proporções mundiais com um largo sorriso no rosto e de braços abertos, como se a casa estivesse em ordem e escondem atrás da cortina, enquanto podem, a bagunça de uma casa ainda em construção.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: