Skip to content

Não basta correr, a meta é vencer

08/07/2011
Entrevistado: Bruno Bonfanti Rios (29), atleta, residente da cidade de Canoas/RS.

Entrevistado: Bruno Bonfanti Rios (29), atleta, residente da cidade de Canoas/RS. Crédito: Acervo pessoal

Guilherme Günther
guilhermelgunther@yahoo.com.br

O esporte pra mim é antes de tudo auto-conhecimento, uma forma de buscar o equilíbrio, é sinônimo de qualidade de vida, de paz

Em que momento da sua vida despertou o interesse pelo esporte?
Eu iniciei na corrida como forma de apoiar meu pai, pois o médico havia dito que se ele não começasse uma atividade física seria uma questão de tempo para ter alguma complicação e até ataque cardíaco devido seu estado de hipertensão. Começamos a treinar juntos quando surgiu uma prova promovida pela minha escola e resolvemos participar. Daí em diante, fui m motivando pelas novas provas que iam surgindo, até que passou a ser uma necessidade pessoal.

Em qual modalidade iniciou?
Corrida de média distância.

Com quanto anos?
Eu tinha 16 anos na época, hoje tenho 29.

Qual a importância do esporte hoje na sua vida?
O esporte pra mim é antes de tudo autoconhecimento, uma forma de buscar o equilíbrio, é sinônimo de qualidade de vida, de paz. O esporte me proporcionou também conhecer pessoas maravilhosas, e nesse meio dificilmente me deparo com pessoas que não considero “do bem”.

Há incentivo da sua família?
Minha família sempre me deu uma orientação para o esporte, pra mim isso está dentro da educação. Minha mãe jogou vôlei durante 25 anos de sua vida, e eu sempre a acompanhava e gostava de toda aquela atmosfera.

Como é o seu treino atualmente? Possui treinador? Faz alguma dieta direcionada?
Atualmente eu treino onze vezes na semana. Divido entre as três modalidades: natação, bicicleta e corrida, sendo que quatro vezes na semana eu pratico em dois turnos, normalmente ao meio dia e à noite. Quanto à minha alimentação, eu a considero balanceada, embora eu coma quase tudo só evitando as gorduras e os doces, principalmente duas semanas antes de competir.

Consome suplementos alimentares?
Eu consumo maltodextrina durante os treinos, carboidrato em gel para reposição de energia e barras de proteína durante e após treinos ou provas que exigem maior esforço.

É difícil ser disciplinado?
Ter disciplina com o que você gosta é mais fácil e percebo isso quando consigo sair da cama às 8h de um domingo com menos de cinco graus para fazer um treino de ciclismo de 100 km, mas não vou dizer que estou sempre motivado pra isso. Eu criei estratégias pra isso, por exemplo, eu penso em como vou achar bom enquanto estiver lá fazendo o treino, na sensação depois de ter feito, no momento bom que é treinar em grupo, no resultado que poderá ter com esse treino, às vezes é preciso driblar a si mesmo.

Em quantas provas você já participou?
No total eu realmente não sei, pois já corri muitas provas. Desde que iniciei na corrida, fui logo participando de provas. Mas nas provas de multimodalidades como triathlon, aquathlon (natação e corrida), e duathlon (corrida e bicicleta) foram apenas quatro.

Como tem sido as suas colocações?
Eu estou feliz com o resultado dos meus treinos, que tem feito eu aparecer mais seguido nos podios. No dia 26 de junho, teve a primeira etapa do campeonato gaúcho de duathlon em São Leopoldo e consegui a primeira colocação da categoria 25 a 29 anos, ficando na nona colocação da classificação geral. No mês de maio corri a maratona Internacional de Porto Alegre num revezamento em dupla e ficamos (eu e o Guilherme Delamare) na terceira colocação. Ainda no mês de maio corri a rústica do dia do desafio e fiquei na primeira colocação da categoria.

 Gosto quando as condições climáticas não são nada favoráveis, gosto de chuva, muito vento, acho que cresço nessas condições, e treinos assim me agradam muito também.

Já correu fora do país?
Sim, foi uma experiência muito marcante. Corri a meia maratona de Verona, na Itália, onde fiz meu melhor tempo em meia maratona, com um nível de motivação absurdo impulsionado por um público altamente participativo. Lembro até hoje de uma pequeninha toda de rosa, devia ter uns três ou quatro anos que me olhou quando eu estava passando e gritou “Forza Brazil!” (risos).

Possui patrocínio?
Não, conseguir patrocínio não é uma tarefa fácil nem para a elite do esporte, no meu caso, se torna quase impossível.

Possui equipe?
Eu treino na Equipe Raiasul

Qual tipo de prova você prefere competir?
Eu prefiro competir em provas mais duras, com mais dificuldades de terreno, lombas, onde é exigido mais técnica. Gosto quando as condições climáticas não são nada favoráveis, gosto de chuva, muito vento, acho que cresço nessas condições, e treinos assim me agradam muito também. As provas mais memoráveis pra mim foram as corridas de montanha, onde o grau de dificuldade é altíssimo. Lembro que em 2009 corri a Volta a Ilha de Florianópolis e chovia muito, e no trecho mais difícil da prova, o Morro do Sertão, tive que subir o morro me segurando nos capins que tinham grudados na lateral do morro, porque estava muito escorregadio por causa do barro. Outra corrida muito dura, mas que foi compensada pela beleza, foi o Mountain Do da Praia do Rosa, e o interessante dessa prova é que corri no pelotão que liderava a prova e as subidas eram tão íngremes que os competidores empurravam, literalmente, uns aos outros morro acima, no intuito de dar força.

Ainda quero melhorar muito meu desempenho para pelo menos “incomodar” a elite do esporte

Em termos de evolução no esporte, quais são suas metas?
Em 2011, e no primeiro semestre de 2012, minha meta é ficar focado nos triathlon de distância olímpica (1,5km natação, 40km ciclismo e 10km corrida). Já no segundo semestre, o foco são os Meio Irom Man (1,9km natação, 90 km ciclismo e 21km de corrida), e em 2013 meu objetivo é fazer minha estréia no Iron Man em Florianópolis.

Você se considera um amador? (Se sim, pretende se profissionalizar?
Eu sou amador e não penso na profissionalização, mas ainda quero melhorar muito meu desempenho para pelo menos “incomodar” a elite do esporte.

Você mantém alguma profissão paralela?
Sim, sou administrador e trabalho com consultoria em gestão de processo de negócios e automação.

Em média, quanto por mês para manter essa prática esportiva?
Bom, eu a média é de 600 reais mensais, num mês normal, entre a assessoria, manutenção da bike, equipamentos, suplementos e inscrições em provas.

Já sofreu alguma lesão/contusão mais grave? Quais os cuidado para evitar essa situação?
Já tive lesões chatas, que me acompanharam por muito tempo, como a fasciíte plantar e a síndrome compartimental na lateral da panturrilha, mas nada muito grave. O importante é ressaltar que esse tipo de lesão normalmente são causadas por períodos de treino que ultrapassam o limite da pessoa, e que muitas vezes acabam não trazendo o benefício do ganho de desempenho esperado.

Que dicas você daria para quem está começando na prática esportiva?
Para começar, sem dúvida é necessário uma boa orientação. É de suma importância a busca de um profissional da área, e sobretudo seguir a risca suas orientações. Sem isso fica difícil evoluir no esporte, sem lesões, e poder ter prazer em realizar os treinos. Um profissional experiente avalia os tipos de prova que você vai competir, e trabalha pra ajudar a manter sua motivação em alta. Além disso, todos sabemos que o esporte acaba consumindo um bom tempo, e que às vezes pode causar um desconforto no relacionamento de casa, por isso minha dica é “sempre tente trazer o seu amor também para o esporte”, assim você une o útil ao agradável (risos).

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: