Skip to content

Mãos às obras?

03/12/2010

Rafael Gonçalves
raffa1387@hotmail.com

Restando três anos e meio para a realização da Copa do Mundo no Brasil, muitas medidas devem ser tomadas em Porto Alegre para a realização do evento e para não causar transtornos aos moradores da Capital, além dos turistas que visitarão a cidade no período. Resta saber, portanto, em que situação se encontram as obras previstas o Mundial.

Conforme Nilmar Faccin, engenheiro civil que trabalha na SECOPA (Secretaria Extraordinária da Copa), existem dez ações firmadas pela matriz de responsabilidade do governo federal, desdobrando-se em dezenove projetos. Destes, destacam-se a duplicação da avenida Tronco, da Edivaldo Pereira Paiva e do corredor da Padre Cacique. Há também cinco obras na Terceira Perimetral – um viaduto e quatro passagens de nível –, os corredores de ônibus das avenidas Bento Gonçalves, Protásio Alves e Assis Brasil, além da remodelação da rodoviária municipal e a duplicação da rua Voluntários da Pátria. Todas essas iniciativas foram firmadas em julho desse ano e devem ser entregues até janeiro de 2011, alguns em estado inicial de elaboração, outros já mais avançados, como é o caso da avenida Beira Rio.

Além dessas medidas, que permitirão ao trânsito de Porto Alegre fluir de maneira mais tranquila e sem grandes congestionamentos, está prevista também a criação de um viaduto que começa na Beira-Rio e vai até a avenida Pinheiro Borba, fazendo a conexão entre essas vias e eliminando a sinaleira localizada na Padre Cacique. Para tomar como experiência outros países e cidades que já sediaram o Mundial, a Capital fez intercâmbios com a cidade de Stuttgart, na Alemanha, onde os membros da comitiva conheceram sua infra-estrutura. E os alemães vieram ao Estado para conhecer a cidade.

Soma-se a isso a viagem que membros da secretaria fizeram à África do Sul, sede do último Mundial. “Mesmo com todas essas informações, não se pode definir um modelo de como fazer a Copa em Porto Alegre, pois cada local tem suas peculiaridades”, explica Faccin. Dois dos três locais escolhidos para jogos e treinamentos na Copa, Beira-Rio e Arena Grêmio têm diferentes impactos na questão viária para a população. Enquanto no estádio do Inter, que será sede dos jogos, a mudança se dará mais no aumento do número de rotas de trânsito nas vias no entorno do estádio, como a duplicação da Edivaldo Pereira Paiva e o corredor da Padre Cacique, a Arena do Grêmio irá revitalizar a área do bairro Humaitá, não só pela criação de novas alternativas de acesso no local, como também vindas da extensão da Rua Voluntários da Pátria e, pelo seu lado esquerdo, a chegada da Rodovia do Parque, cujo objetivo principal é desobstruir a BR-116, importante via de acesso da grande Porto Alegre para a capital.

Uma alternativa urbanística de grande valor, o plano diretor cicloviário é conduzido pela EPTC e sugere que possam ser construídos 498 quilômetros de ciclovia, o que necessariamente não significa que todo esse número será efetivamente feito. Dentro da matriz de ações, já estão previstas ciclovias na Pereira Paiva e na Tronco, além de outras ciclovias em parceria com empresas privadas que, por exemplo, é o caso da AV. Diário de Notícias, onde no local está sendo feita a ciclovia em contrapartida à execução do Barra Shopping Sul. Está previsto, até a copa de 2014, que sejam construídas 60 quilômetros do espaço para bicicletas, com base na EPTC, segundo afirma a Secretaria.

Obra de grande fluxo de veículos, a terceira perimetral não possui ainda recursos para ser efetuado seu prolongamento, muito embora esta proposta não seja recente, mas ela só deve sair do papel e virar realidade no ritmo de projetos sem vinculação com o Mundial.

Um projeto que merece atenção para diminuir os transtornos na saída de Porto Alegre, a nova ponte do Guaíba vive um impasse no momento. Ação vinculada ao governo do estado, o que se tem sobre a construção são relatórios de viabilidade técnica e econômica contratados pelo DNIT (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes), para uma empresa, e que até agora só houve proposta para construir um novo empreendimento por parte da concessionária que detém o controle da via, a CONCEPA (Concessionária da Rodovia Osório-Porto Alegre), possuindo seis meses para finalizar e concretizar suas intenções.

Mesmo agora, em 2010, devemos estar atentos para o andamento de todas as ações e medidas pensadas para a Copa de 2014. No sentido de garantir o sucesso do evento com a vigilância necessária para com as entidades envolvidas nos projetos e nas obras previstas.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: